Vários ex-representantes da Afinsa em Portugal estão a ser investigados, na condição de arguidos, por suspeitas do crime de «atividade ilícita de receção de depósitos e de outros fundos reembolsáveis», noticia o «Jornal de Notícias».

A informação foi prestada ao jornal pela Procuradoria-Geral da República, sem detalhes sobre o número ou funções dos arguidos na Afinsa Bienes Tangibles, SA, uma empresa fundada em Espanha pelo português Albertino de Figueiredo. A investigação visa a atividade dos arguidos na angariação e recebimento de muitos milhões de euros entregues por 12 mil clientes portugueses.

Os clientes investiam em supostas coleções de selos, pelo menos em duas modalidades. Ou entregavam determinado montante de uma vez à Afinsa, ou depositavam uma quantia mensal pré-contratualizada.