não existiram ilegalidades





“não se verifica qualquer ilegalidade na decisão”.









decisão do Tribunal Europeu dos Direitos do Homem