Os utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) que realizem colonoscopias com sedação passam a ter de pagar 28 euros de taxa moderadora, 14 do exame e outros 14 da analgesia, segundo a nova tabela de preços.

De acordo com a tabela publicada hoje no site da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), a taxa moderadora para a realização da colonoscopia total é de 14 euros, a que acrescem outros 14 euros de taxa pela sedação.

O valor da taxa moderadora para a colonoscopia total ou esquerda (parcial) manteve-se sem alterações, respetivamente em 14 e 13 euros.

A partir de hoje, todas as colonoscopias realizadas nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde podem ser feitas com recurso a sedação, uma forma de reduzir o receio com a realização deste exame.

Segundo uma norma clínica colocada em discussão pública no site da Direção-geral da Saúde (DGS) «a sedação(anestesia) tem de ser realizada por médico anestesiologista».

«O médico gastrenterologista que procede ao exame não deve ser envolvido no processo de sedação», refere ainda o documento.

Antes desta norma, a Ordem dos Médicos veio avisar que o Ministério da Saúde estava a propor uma sedação inadequada para as colonoscopias, que poderia pôr em risco os doentes, indicando que fosse feita por gastrenterologistas e não por anestesistas.

Fonte ligada ao setor disse à agência Lusa que a taxa moderadora que estava prevista para a sedação, antes da norma da DGS indicar a analgesia por anestesista, era de sete euros, tendo agora duplicado para 14 euros.

Segundo resposta oficial da ACSS à agência Lusa, a taxa moderadora está associada ao preço do ato médico: «por este ato ser de preço mais elevado, a taxa moderadora acompanha este aumento».

A ACSS recorda que o ato médico foi alterado de «sedação por gastrenterologista» para «sedar/analgesiar».