O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) e a Proteção Civil informaram que, desde sábado, tem sido registada atividade sísmica ao largo do Faial, com um total de 63 eventos, mas nenhum sentido.

“Desde o final da tarde do dia 9 que começámos a registar uma atividade sísmica a oeste da ilha do Faial a uma distância de cerca de 20 a 30 quilómetros da costa. Esta atividade sísmica prolongou-se durante o dia 10. Ontem [segunda-feira] o dia foi mais tranquilo, mas tivemos de novo um incremento na última noite”, explicou hoje a presidente da direção do CIVISA, Teresa Ferreira, em declarações à Lusa.

Um comunicado emitido esta terça-feira de manhã, pelo Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores, que cita o CIVISA, adianta que "desde as 16:58 do dia 9 de julho tem vindo a ser registada atividade sísmica numa região epicentral localizada no mar”.

"Até ao momento, foram registados 63 eventos, todos de baixa magnitude, tendo o mais forte ocorrido às 02:26 de hoje com magnitude 2,9 na escala de Richter, mas nenhum foi sentido pela população", indica a nota.

Teresa Ferreira referiu que "os sismos, apesar de serem de pouca energia, podem vir a ser sentidos pela população", dada "a proximidade que a sismicidade tem relativamente à linha de costa".

"A zona onde estamos a registar atividade sísmica é uma zona onde estes episódios são relativamente frequentes e, como tal, estamos a acompanhar o desenvolvimento desta atividade", salientou ainda, indicando que "o último evento foi registado sensivelmente próximo das 06:00 de hoje" e desde então "toda a zona tem estado relativamente tranquila".

Segundo a presidente da direção do CIVISA, por enquanto toda a atividade sísmica na zona em causa "está a ser tratada como sendo pequenos episódios".

Recentemente foi também registada atividade sísmica ao largo da ilha Graciosa.