Mais de 3.000 militares da GNR vão patrulhar as estradas portuguesas, entre sexta-feira e domingo, numa operação que tem como objetivo garantir a segurança dos portugueses que se deslocam para férias.

Trata-se da terceira fase da «Operação Hermes - Viajar em Segurança», que a GNR está a realizar entre 13 de julho e 1 de setembro, em quatro fases, através de um reforço do patrulhamento rodoviário, apoio e fiscalização aos condutores que nesta altura do ano circulam nas estradas portuguesa.

Em comunicado citado pela Lusa, a GNR adianta que estão mobilizados para a operação 3.091 militares da Unidade Nacional de Trânsito e dos comandos territoriais, que vão estar «especialmente atentos aos comportamentos de risco dos condutores que coloquem em causa a segurança rodoviária», além da atuação preventiva e de apoio aos utentes das vias rodoviárias.

Segundo aquela força de segurança, os militares da GNR vão estar atentos às manobras perigosas de ultrapassagem, mudança de direção, inversão do sentido da marcha, cedência de passagem e distância de segurança, condução sem habilitação legal, não utilização do cinto de segurança e cadeirinhas de crianças, uso do telemóvel, condução sob o efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas e excesso de velocidade.

A corporação indica que, na primeira e segunda fases da operação, foram contabilizados 1.465 acidentes, dos quais resultaram cinco vítimas mortais, 28 feridos graves e 568 feridos leves.

A GNR destaca ainda que foram multados 618 condutores com uma taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, 536 por não utilização do cinto de segurança ou do sistema de retenção para crianças e 2.117 em excessos de velocidade.

Na nota enviada à imprensa, a Guarda Nacional Republica sublinha que estas infrações são as três principais causas de sinistralidade rodoviária com vítimas em Portugal.

A quarta e última fase da operação «Hermes - Viajar em Segurança» vai decorrer entre 29 de agosto e 1 de setembro.