O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses anunciou que se mantém a manifestação desta sexta-feira junto ao Ministério da Saúde e que, caso não receba uma contraproposta até segunda-feira, fará um pré-aviso de greve na terça-feira.

Em declarações à Agência Lusa, a presidente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, Guadalupe Simões, explicou que a reunião de quinta-feira com os responsáveis do Ministério da Saúde chegou ao fim sem acordo sobre a revisão das carreiras e que o sindicato comunicou ao Ministério as suas intenções.

Sem contraproposta haverá greves

«Caso segunda-feira não tenhamos até ao final do dia a contraproposta, terça-feira sai um pré-aviso de greve de dois dias que os enfermeiros irão fazer proximamente», afirmou Guadalupe Simões.

A responsável explicou que durante a reunião houve um «ligeiro aproximar de posições relativamente à estrutura de carreira» mas que existem «princípios estruturantes» em que sindicato e Ministério continuam a ter posições afastadas.

«Neste momento nós não aceitamos que o Ministério da Saúde nos apresente qualquer tipo de contraproposta com prazos dilatados e foi isso mesmo que transmitimos no Ministério da Saúde», explicou à Lusa.

Disponíveis para negociar

Guadalupe Simões afirmou no entanto que os enfermeiros estarão «sempre disponíveis para negociar ou para desconvocar a greve se eventualmente houver da parte do Ministério da Saúde um aproximar de posições».

«Ainda que possamos vir a negociar com o pré-aviso de greve ou até desconvocar a greve, se a proposta que o Ministério da Saúde nos apresentar vier de encontro às nossas pretensões ou pelo menos nos permitir vislumbrar que se pode fazer caminho no processo negocial, não podemos permitir é este arrastamento deste processo por culpa do Ministério da Saúde», sublinhou a presidente do sindicato.