O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) realizou buscas a duas residências e a um escritório de contabilidade, em Lisboa, tendo apreendido documentação comprovativa de atividade ligada ao auxílio à imigração ilegal e falsificação de documentos, foi divulgado esta segunda-feira.

Em comunicado, o SEF adianta que foi constituído arguido um contabilista, suspeito da investigação criminal que está em curso sob orientação do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

Segundo o SEF, a investigação permitiu desmantelar a atividade do contabilista que, de forma reiterada, emitia contratos de trabalho em nome de empresas que eram suas clientes, sem que estas tivessem conhecimento.

Aquele serviço de segurança refere que «os contratos fraudulentos, emitidos a troco de avultadas quantias monetárias, facultavam aos estrangeiros a sua regularização junto do SEF».

Por cada contrato emitido, o arguido cobrava ainda a cada suposto trabalhador verbas alegadamente destinadas a pagar as prestações à segurança social, cujos montantes se apropriava, indica o SEF, acrescentando que «a atividade ilícita do contabilista motivara já a apresentação de queixas por parte dos responsáveis das empresas que eram usurpadas».

O SEF diz ainda que foram apreendidos computadores, suportes digitais, carimbos e documentação diversa, nomeadamente contratos de trabalho, extratos bancários, minutas de requerimentos e agendas, que constituem prova dos crimes praticados.