O Tribunal de Coimbra condenou esta quinta-feira um homem de 65 anos a quatro anos de pena de prisão, suspensa na sua execução, por tentar matar o irmão de 72 anos, na Pampilhosa da Serra, em agosto de 2015.

O arguido foi condenado pela prática de um crime de homicídio simples na forma tentada, depois de ter apresentado uma "confissão integral e sem reservas" dos factos constantes da acusação durante o julgamento, informou a juíza que presidia ao coletivo de Coimbra.

O homem, que residia em Coimbra, "só não causou a morte ao arguido por questões alheias à sua vontade", depois de ter desferido dois golpes no irmão com uma faca, sublinhou o Tribunal.

Segundo a juíza, o arguido "mostrou arrependimento" e não tem antecedentes criminais.

O Tribunal de Coimbra considerou "adequado suspender a pena de prisão", sendo que nesse período será submetido a um plano de reinserção, sendo apontado como habitação temporária o Centro de Acolhimento Farol, em Coimbra.

O homem terá desferido dois golpes com recurso a uma faca no irmão a 2 de agosto de 2015, na casa da vítima, em Dornelas do Zêzere, concelho da Pampilhosa da Serra.

O crime começou depois de uma discussão, em torno de um telemóvel, que acabou com o arguido a ir buscar uma faca à cozinha e a atacar o irmão, contou aos jornalistas a vítima, no final da sessão.

O irmão do condenado teve de ser submetido a três operações,

Não achei graça nenhuma" à decisão do Tribunal, criticou, referindo que quatro anos de pena suspensa "não é nada. É leve demais".

Considerando que o seu irmão pode ir à Pampilhosa da Serra "a qualquer hora que queira", a vítima já mudou entretanto "as fechaduras da casa", com medo de um novo confronto.