A Associação Nacional de Bombeiros alertou para as “falhas de higiene e segurança” no quartel do Regimento Sapadores Bombeiros de Lisboa, na avenida Defensores de Chaves, que “prejudicam gravemente” a operacionalidade diária e a saúde dos profissionais ali colocados.

Em comunicado, a Associação Nacional de Bombeiros Profissionais/Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais (ANBP/SNBP) afirma que estes bombeiros “estão revoltados e indignados” com as atuais condições de trabalho e acrescentam que a realização normal das tarefas de serviço e a instrução física “tornaram-se praticamente impraticáveis por falta de água há mais de uma semana”.

Denunciam ainda a “existência de baratas” neste quartel.

Em resposta escrita enviada à agência Lusa, a Câmara Municipal de Lisboa diz que “está reposta a normalidade em termos de água quente”, adiantando que o Departamento de Saúde, Higiene e Segurança no Trabalho da autarquia irá hoje “proceder à avaliação e, de acordo com o verificado, adotar medidas face ao existente no quartel”.

A ANBP/SNBP sustenta que esta situação já foi comunicada ao comando mas que, até à data, “não houve qualquer solução”.
 

Os bombeiros avisam que, com o inverno e o frio à porta, esta situação poderá provocar “graves problemas de saúde aos bombeiros e, no limite, resultar num aumento do absentismo”.


A associação/sindicato dos bombeiros denuncia também a existência de baratas neste quartel do Regimento Sapadores Bombeiros (RSB) de Lisboa, que alberga cerca de 30 operacionais.

“Estes insetos passeiam-se há meses pela cozinha, pelos alimentos, pelas roupas pessoais e pelos armários dos bombeiros, colocando em risco a sua saúde e, indiretamente, da própria população que servem, podendo tudo isto tornar-se num problema de saúde pública”, alerta a ANBP/SNBP.

Os bombeiros salientam que as várias desbaratizações já realizadas não resolveram o problema e exigem que seja tomada uma medida mais drástica para garantir a total extinção de baratas nas instalações do quartel da Defensores de Chaves.
 

“Todos estes problemas foram já expostos ao comando do RSB de Lisboa, que nada tem feito e que tem deixado agravar a situação, colocando em risco a saúde e a integridade física dos bombeiros”, acusa a ANBP/SNBP.


Na resposta enviada à Lusa, o município de Lisboa diz estar a executar um grande investimento no RSB, “no sentido de garantir as melhores condições de trabalho aos Sapadores", dando como exemplo o início – nesta semana - da construção do novo quartel da Alta de Lisboa.

A ANBP/SNBP termina o comunicado com um aviso: “Os bombeiros do RSB exigem que a situação seja resolvida para que seja evitada uma queixa à Autoridade para as Condições de Trabalho, na qual seja apontada a irresponsabilidade e incúria do comando do RSB”.