O Instituto de Segurança Social (ISS) atribuiu, entre janeiro e agosto deste ano, produtos de apoio a pessoas com deficiência no valor de 2.924 mil euros, sendo o distrito do Porto aquele onde se registou o maior aumento nos últimos anos.

Em comunicado, o ISS diz que em 2015 reforçou o investimento no âmbito do Sistema de Atribuição de Produtos de Apoio (SAPA), ao qual atribuiu uma dotação orçamental de 4,5 milhões de euros, um aumento de 800 mil euros face aos 3,7 milhões atribuídos em 2011.

“É de salientar que de janeiro a agosto de 2015 o Instituto da Segurança Social já atribuiu produtos de apoio no valor de dois milhões e novecentos e vinte e quatro mil euros”, diz o ISS.


De acordo com a informação do ISS, o distrito que registou o maior aumento no valor dos apoios foi o Porto, que teve um financiamento de 996.500 euros em 2014, “um aumento de 48% face a 2011”, logo seguido de Lisboa, com a atribuição de 919 mil euros no ano passado, o que “representou um aumento de 37,5% face a 2011”.

“A par deste reforço do investimento que se tem vindo a registar desde 2012, em março de 2015 foi implementado um novo paradigma de prescrição, com o alargamento das entidades que podem prescrever estes apoios, sendo que o Instituto da Segurança Social pode agora financiar produtos prescritos pelos seus Centros Prescritores e pelos Centros de Saúde”, adianta o ISS.

Paralelamente dá conta de que também no decorrer deste ano entrou em funcionamento uma plataforma integrada para a atribuição dos produtos, o “que permite uma gestão mais eficaz das prescrições de todos os intervenientes do Sistema”.

Neste sistema estão incluídos Hospitais, Centros de Saúde, Centros Prescritores do Instituto da Segurança Social, Centros de Recursos do Instituto de Emprego e Formação Profissional e Centros de Recursos de Tecnologias de Informação e Comunicação da Direção Geral de Educação.

“Estas alterações, quer ao nível do modelo de prescrição como ao nível da sua gestão, vieram introduzir maior agilidade e simplificação dos processos e maior celeridade na resposta aos requerimentos”, lê-se no comunicado.