O Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, confirmou esta terça-feira que a inspeção está a fiscalizar as promoções de viagens de finalistas, que alegadamente estariam a acontecer de forma ilegal dentro de algumas escolas.

Segundo a edição do Jornal de Notícias, a Inspeção-geral de Educação e Ciência (IGEC) terá recebido várias denúncias relativas a escolas que estariam a ceder instalações para promover reuniões entre empresas e pais de alunos no âmbito das viagens de finalistas, que habitualmente se realizam nas férias da Páscoa.

Está bem sinalizado que essas ações de promoção não podem acontecer em ambiente escolar. A Inspeção-geral e o Ministério da Educação estão atentos e sempre que são sinalizados momentos como esse, a inspeção atua. A inspeção está a atuar e neste momento é deixar seguir a atuação da inspeção que está a fazer o trabalho que tem de ser feito”, afirmou Tiago Brandão Rodrigues, à margem da apresentação do Orçamento Participativo das Escolas, que decorreu em Lisboa.

O ministro salientou ainda que “as viagens de finalistas são promovidas por grupos informais de estudantes fora do ambiente escolar” e que o Ministério da Educação não tem qualquer envolvimento direto nesse tipo de iniciativas.

Nós somos observadores atentos e sempre que necessário atuamos para que a legalidade seja cumprida”, concluiu Tiago Brandão Rodrigues, sublinhando que caso a inspeção tire conclusões importantes, essas serão divulgadas.

Este ano haverá um aumento de participação nas viagens de finalistas do 12.º ano face ao ano passado, segundo dados das agências de viagens citados pelo Jornal de Notícias, que estimam que, este ano, cerca de 20 mil estudantes viajem até Benalmadena e Marina D’or, em Espanha.