Mais de metade dos alunos do ensino secundário que fizeram exame nacional de Matemática A repetiram a prova na segunda fase, mas a nota média ficou abaixo dos resultados da primeira fase, segundo dados hoje divulgados.

A média a Matemática A na segunda fase de exames fixou-se nos 10,4 valores, abaixo dos 10,9 valores registados na primeira, de acordo com dados do Ministério da Educação (ME).

À segunda fase do exame nacional de Matemática A apresentaram-se este ano 51,2% dos alunos que já tinham feito a prova na primeira fase.

Também a média em História A ficou um valor abaixo dos 9,5 registados na primeira fase, fixando-se nos 8,5 valores.

A Português a média na segunda fase foi de 10,2 valores, uma décima abaixo do ano anterior, e praticamente um valor abaixo dos resultados obtidos na primeira fase, cuja média foi de 11 valores.

Também as provas de Física e Química A e Biologia e Geologia levaram quase metade dos alunos a repetir a prova, com taxas de repetição de 48% e 44,7%, respetivamente.

Por regra, os resultados da segunda fase são inferiores aos da primeira fase, no entanto, ao contrário dos anos transatos, os exames da segunda fase de algumas disciplinas apresentam resultados superiores aos observados na primeira fase”, lê-se no comunicado do ME.

O comunicado destaca ainda que “uma significativa percentagem” de alunos internos – aqueles que se apresentam a exame depois de terem frequentado as aulas ao longo de todo o ano letivo – que não tinham conseguido obter positiva na primeira fase a disciplinas como História da Cultura e das Artes, Biologia e Geologia e Geometria Descritiva A, que registaram taxas de aprovação na segunda fase de 91%, 90% e 89%, respetivamente.

Física e Química A registou uma subida de média não só face ano anterior, com a segunda fase deste ano a registar uma média de 11,4 valores, contra os 10,1 valores de 2017, como também em relação aos resultados da primeira fase, cuja média se fixou nos 10,6 valores.

Biologia e Geologia piorou resultados face a 2017, com a segunda fase a registar uma média de 9,6 valores contra os 10,9 valores do ano anterior, e que foi também a média da primeira fase deste ano.

A segunda fase dos exames nacionais decorreu em 641 escolas do país e nas escolas portuguesas no estrangeiro, tendo sido realizadas 115.021 provas, menos do que as 120.866 realizadas em 2016-2017, e foram classificadas por 4.102 professores.

As disciplinas que registaram um maior número de provas realizadas na segunda fase foram Matemática A, com 23.265 provas, logo seguida pelas disciplinas de Português, com 21.558 provas, Física e Química A, com 20.963 provas, Biologia e Geologia, com 19.963 provas”, lê-se no comunicado do ME.

O mesmo documento ressalva que “relativamente ao ano anterior, verifica-se uma diminuição significativa do número de provas realizadas na segunda fase a Física e Química A e a Biologia e Geologia, em cerca de, respetivamente, 2.400 e 2.800 provas, o que se encontra em linha com o aumento da média das classificações destes exames na primeira fase e a correspondente descida nas taxas de reprovação” acrescentando ainda que “no caso da Matemática verifica-se alguma estabilidade no número de provas realizadas, também reflexo da baixa variação da média das classificações na primeira fase”.