“Entre 2013 e 2014, foram retiradas placas deterioradas, designadamente em telheiros, passadiços e pavilhões gimnodesportivos, ou outros equipamentos sempre que tal se justificou”, recordou o ministério, esta quarta-feira, em resposta à Lusa.