Os preços dos medicamentos vão baixar nos primeiros meses de 2015, prevendo-se poupanças de 15 milhões de euros para o Estado e de sete milhões de euros para os utentes, disse à Lusa o presidente do Infarmed.

Segundo Eurico Castro Alves, esta descida vai acontecer porque os preços dos medicamentos vão mudar nos países de referência para Portugal: Espanha, França e Eslovénia.

«Vamos olhar e fazer a média e aplicar esse regime de preços aos nossos medicamentos», adiantou.


O Sistema de Preços de Referência (SPR) abrange os medicamentos comparticipados, prescritos no âmbito do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e que têm genéricos autorizados, comparticipados e comercializados.

A descida dos preços, que deverá sentir-se nos primeiros meses do próximo ano, não irá ser igual em todos os mais de 16 mil medicamentos que existem em Portugal. Nalguns casos prevêem-se subidas mais significativas do que noutros.

Esta baixa tinha sido referida pelo ministro da Saúde, Paulo Macedo, no final da cerimónia de assinatura do acordo entre os ministérios da Saúde e das Finanças e a Associação Portuguesa da Indústria Financeira (Apifarma).

Este acordo pressupõe um contributo da indústria farmacêutica de 180 milhões de euros em 2015.