Quinze instituições hospitalares de Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve vão passar a cooperar em especialidades médicas, na compra de material clínico e no transporte de doentes, informou o Ministério da Saúde.

Os protocolos de afiliação, 25 num total, foram assinados na quarta-feira, em Lisboa, entre as administrações regionais de saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve e as 15 instituições hospitalares do Serviço Nacional de Saúde, e visam "melhorar o serviço prestado aos utentes, contribuindo para a otimização de recursos humanos e materiais", refere o ministério em comunicado.

A cooperação estende-se, por exemplo, a consultas, cirurgias, partilha de médicos em especialidades como Anatomia Patológica, Psiquiatria, Oncologia, Radioterapia, Ortopedia, Dermatologia, Urologia/Litotrícia, Hematologia ou Cirurgia Vascular, bem como à compra de material clínico como próteses, reagentes, ventiladores, roupa e fardamento, e ao transporte de doentes, à telemedicina ou à teleradiologia.

O Centro Hospitalar de Lisboa Central (hospitais São José, Santo António dos Capuchos, Santa Marta, Dona Estefânia, Curry Cabral e Maternidade Alfredo da Costa) afiliou-se com o Hospital de Santarém e o Centro Hospitalar Médio Tejo.

O Centro Hospitalar Lisboa Norte (hospitais Santa Maria e Pulido Valente) coopera com o Centro Hospitalar do Oeste (unidades das Caldas da Rainha, Peniche e Torres Vedras) e com o Centro Hospitalar do Algarve (hospitais de Faro, Portimão e Lagos).

O Hospital Garcia de Orta, em Almada, assinou protocolo com o Centro Hospitalar de Setúbal (Hospital São Bernardo) e com o Centro Hospitalar Barreiro-Montijo, enquanto o Centro Hospitalar Lisboa Ocidental (hospitais São Francisco Xavier, Santa Cruz e Egas Moniz) com o Hospital Fernando Fonseca, na Amadora.

Na região do Alentejo, a cooperação foi fixada entre o Hospital do Espírito Santo de Évora e as unidades locais de saúde do Baixo Alentejo, do Norte Alentejano e do Litoral Alentejano, segundo apurou a Lusa.