Os enfermeiros do Centro Hospitalar Barreiro/Montijo contestam as alterações nos horários de trabalhos e os chefes de equipa da urgência ameaçam demitir-se, disse esta sexta-feira à Lusa fonte sindical, enquanto a administração argumentou estar a aplicar a lei.

«Foi feita uma alteração dos horários de trabalho sem a auscultação dos profissionais para entrar em vigor dia 20 de abril [segunda-feira]. Os enfermeiros estão contra e os chefes de equipa da urgência dizem que se vão demitir se a alteração for aplicada», disse à Lusa Zoraima Prado, do Sindicato dos Enfermeiros.


Os enfermeiros realizaram esta sexta-feira um plenário no Centro Hospitalar e depois foram recebidos pela administração.

«Todos os chefes de serviço dos vários pisos estão contra [as alterações] e dizem que não sabem como vão assegurar o serviço. A administração recebeu-nos e disse que vai tentar reunir com a Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) para tentar uma abertura para negociar estas alterações.»


Zoraima Prado disse que os enfermeiros vão aguardar por segunda-feira e referiu que, caso a situação se mantenha, vão ser «tomadas medidas».

Fonte oficial do Centro Hospitalar Barreiro/Montijo, contactada pela Lusa, confirmou que a administração vai tentar junto das autoridades competentes encontrar uma solução que permita cumprir a lei e satisfazer os interesses dos profissionais e serviços e explicou que a administração apenas está a cumprir a lei.

«A alteração da distribuição do horário de trabalho prende-se com o cumprimento de uma recomendação da Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) e da legislação em vigor.»


Mas Zoraima Prado criticou também a intenção de se abdicar das camas de outros serviços que foram disponibilizadas para as urgências por ocasião do pico de gripe, afirmando que o serviço continua sobrelotado.

«O serviço continua sobrelotado e caótico, com uma taxa de 150%. Temos a informação que as camas de outros serviços onde os doentes estavam a ser internados vão encerrar este fim-de-semana, o que vai causar muitos problemas.»


Fonte do Centro Hospitalar explicou que, no primeiro trimestre deste ano, a média de atendimento na urgência médico-cirúrgica do Centro Hospitalar Barreiro Montijo foi de 180 utentes por dia, número em linha com os anos anteriores.

«Destes doentes, são internados diariamente uma média de 18 utentes, percentagem ligeiramente superior à verificada em anos anteriores. Não foram encerradas quaisquer camas de internamento, mantendo-se abertas as camas adicionais operacionalizadas no período de inverno.»


Segundo a mesma fonte, o que está em preparação é uma reorganização interna das camas existentes, para «acomodar o S.O. da Urgência Médico-Cirúrgica, aquando do início das obras previstas para este serviço».