Pelo menos 24 doentes estão em isolamento, nos Hospitais da Universidade de Coimbra, por causa da bactéria Klebsiella pneumoniae, a mesma que matou no Hospital de Gaia e que é multirresistente a antibióticos. A notícia é avançada, esta quarta-feira, pelo Jornal de Notícias (JN).
 
O Centro Hospitalar Universitário de Coimbra (CHUC) assegura que não se pode falar de “surto”. Sublinha que os 24 pacientes estão isolados, “para prevenir eventual disseminação” e adianta que cinco pacientes colonizados com a bactéria, mas sem infeção, que estão internados nos cuidados intensivos, mas “por outras causas clínicas”.
 
De acordo com o gabinete do Programa de Prevenção e Controlo das Infeções e Resistências aos Antimicrobianos do CHUC, citado pelo JN, admite que houve doentes que morreram, mas não especifica quantos. Adianta, contudo, que todos tinham quadros clínicos graves, com várias patologias e idade avançada. Também sem especificar quantos pacientes, o gabinete admite que, entre os portadores da bactéria, “uma fração” desenvolveu infeção.
 
Ainda de acordo com as informações avançadas pelo JN, o Conselho de Administração do CHUC constituiu uma task force para acompanhar a situação e para “implementação de medidas de contenção, rastreio e monitorização da eficácia das mesmas”. Diariamente é feito um “rastreio a todos os doentes que cumprem os critérios de contactante com um caso KPC”.
 
A Klebsiella pneumoniae transmite-se através de secreções e pelo contacto direto com doentes infetados.