O município de S. Pedro do Sul criou um subsídio de incentivo à natalidade para crianças nascidas no concelho durante o ano de 2014 que pode chegar aos 600 euros, revela a câmara municipal.

Teresa Sobrinho, vereadora da Câmara de S. Pedro do Sul, explicou à Lusa que o Regulamento Municipal de Incentivo à Natalidade, publicado já em Diário da República, foi pensado para tentar estimular os jovens casais a terem filhos no interior, apesar do contexto de crise.

«O incentivo é de 50 euros mensais, do qual podem usufruir as crianças que tenham nascido no concelho desde o dia 01 de janeiro de 2014. O subsídio é dado ao longo do primeiro ano de vida, podendo chegar aos 600 euros», esclareceu, explicando que a medida pretende também apoiar o comércio local do concelho: «O incentivo à natalidade concretiza-se sob a forma de reembolso de talões de compras efetuadas no comércio local, para aquisição de bens e produtos considerados indispensáveis às crianças.»

No concelho de S. Pedro do Sul estão a nascer cada vez menos crianças, à semelhança do que vem acontecendo na maioria dos municípios do interior. Durante o ano de 2013, nasceram perto de 100 crianças em S. Pedro do Sul. No entanto, este é um número que Teresa Sobrinho duvida que se venha a repetir em 2014.

«Com a crise, desemprego e rendimentos baixos, há cada vez menos casais que se aventuram a ter filhos, especialmente em concelhos do interior. A geração de pessoas com 20 e poucos anos está toda a emigrar e só ficam os idosos», lamentou.

«Temos feito tanta divulgação a este incentivo, publicado em Diário da República, mas para já só recebemos três processos para o subsídio. É dramático ver que o interior não consegue fixar jovens», sublinhou.