O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores registou esta segunda-feira vários incidentes com danos materiais em três ilhas do arquipélago, na sequência do mau tempo que afeta o arquipélago.

Segundo fonte do serviço, em São Miguel, a maior ilha da Região Autónoma dos Açores, no grupo oriental, o portão de uma moradia caiu, tendo ainda ocorrido a queda de um cabo de televisão, situações que foram entretanto resolvidas.

Já na ilha do Pico, no grupo central, a Proteção Civil registou a quebra de janelas num restaurante no concelho das Lajes do Pico.

Por fim, na ilha Terceira, também no grupo central, verificou-se a queda de uma árvore, uma inundação numa habitação e a obstrução de uma ponte, além de chapas de um telhado que voaram.


“A Proteção Civil realça o facto de não haver danos pessoais até ao momento e reitera as recomendações à população”


Entre os conselhos, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros aponta a necessidade de “garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas e a retirada de inertes, e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento”.

Por outro lado, apela à manutenção da limpeza dos sistemas de drenagem e a consolidação de telhados, portas e janelas, além de pedir à população para proceder a “uma adequada fixação de estruturas soltas, como andaimes, ‘placards’ e outras estruturas montadas ou suspensas”.

A Proteção Civil recomenda ainda um “especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas” e a não praticar “atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar”.
 

Pescadores aconselhados a ficarem em terra


A Federação das Pescas dos Açores aconselhou os pescadores a ficarem hoje em terra e a acautelarem as embarcações devido ao mau tempo que está a afetar o arquipélago.

O presidente da Federação das Pescas dos Açores, Gualberto Rita, disse à agência Lusa que, devido à previsão de vento forte e agitação marítima, “é aconselhável que todos os pescadores e as embarcações fiquem hoje em terra para evitar situações de perigo”.

Gualberto Rita adiantou que, no caso concreto do porto da Ribeira Quente, localizado na costa sul da ilha de São Miguel, “todas as embarcações de pesca já foram retiradas do mar, para local seguro em terra”.

“O histórico deste porto aconselha prudência”, alertou Gualberto Rita, lembrando que o porto da Ribeira Quente estará hoje sujeito a “forte ondulação”.

O capitão do porto de Ponta Delgada (São Miguel) e de Vila do Porto (Santa Maria) informou que “não há embarcações a sair para o mar” e aconselhou toda a comunidade marítima a “acautelar a amarração das embarcações”.

Em declarações à Lusa, o comandante Cruz Martins recomendou, ainda, que os cidadãos não se aproximem das zonas de rebentação da orla costeira.

Já o transporte marítimo de passageiros e viaturas nos Açores, a cargo da empresa pública Atlânticoline, cancelou hoje a ligação entre as ilhas do Faial e São Jorge, no grupo central.

Fonte da Atlânticoline acrescentou que a viagem deveria ter partido do Faial às 08:00 (mais uma hora em Lisboa), mas foi cancelada devido à agitação marítima, sendo que, relativamente à restante operação para o dia de hoje, “a situação será avaliada consoante o evoluir das condições meteorológicas”.

Entretanto, a Câmara de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, anunciou que o Mercado da Graça, de venda de produtos agrícolas, está encerrado, bem como as visitas à Torre Sineira no edifício dos Paços do Concelho.

As ilhas de Santa Maria e São Miguel, no grupo oriental do Açores, estão hoje sob aviso vermelho devido à previsão de vento forte e agitação marítima, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o instituto, estas duas ilhas vão estar sob aviso vermelho entre as 12:00 e as 24:00 de hoje (menos uma hora nos Açores) devido à previsão de vento forte, com rajadas da ordem dos 130 quilómetros por hora, podendo em alguns locais atingir os 150 quilómetros por hora.

O grupo oriental vai estar também sob aviso vermelho devido à previsão de agitação marítima forte, com ondas de sudoeste de seis a oito metros, aumentando para nove a dez metros e podendo, pontualmente, atingir os 15 metros.

O aviso vermelho, o mais grave numa escala de quatro, é identificado pelo IPMA como uma situação meteorológica de risco extremo, devendo as pessoas acompanharem a evolução das condições e seguir as orientações da Proteção Civil.

O IPMA colocou também o grupo central (ilhas Terceira, Graciosa, São Jorge, Faial e Pico) sob aviso laranja devido à previsão de chuva (até às 15:00 de hoje) e vento forte (até às 24:00), passando depois a aviso amarelo.

Já o grupo ocidental (ilhas das Flores e Corvo) está sob aviso amarelo até às 15:00 devido à previsão de chuva forte acompanhada de trovoada e vento forte.