Em Santa Maria da Feira, uma idosa de 89 anos está a um dia de ficar sem dois aparelhos de aspiração, essenciais para lhe desimpedir as vias respiratórias, tudo porque a segurança social deixou de comparticipar o tratamento.

Acamada há 2 anos, é o filho, Rogério Couto, quem toma conta dela, mas desempregado de longa duração, Rogério não tem condições para assegurar a continuidade do equipamento.

Há 9 anos que a mãe de Rogério sofre de alzheimer, mas há 2, várias complicações deixaram-na acamada e dependente de 2 aparelhos para poder respirar.

«É uma injustiça tirarem o que a minha mãe fez de descontos tantos anos e agora ao fim da vida dela ao menos deixavam estar [os aparelhos] até à última», diz Rogério Couto.