O antigo reitor da Universidade de Lisboa, António Sampaio da Nóvoa, considera que o que está a acontecer com os jovens em Portugal é um «desperdício quase criminoso».

«É quase criminoso o desperdício desta geração jovem que nós estamos a fazer», afirma.

O antigo reitor disse, em entrevista à TSF, que não estão a ser dadas condições para os jovens ficarem em Portugal e acrescentou que os cortes para o ensino superior são insustentáveis. «Os cortes mais drásticos e violentos têm sido na área da educação».

Sampaio da Nóvoa alertou ainda para a falta de solidariedade na União Europeia «Se a europa não conseguir repensar-se, é o fim da Europa».

Sem filiação partidária, o ex-reitor da Universidade de Lisboa sempre foi mais conhecido no meio académico do que no político, mas a verdade é que os alertas que faz na área que domina não são indiferentes a quem comanda os destinos do país.

A esquerda vê Sampaio da Nóvoa como um óptimo candidato presidencial, mas, na entrevista que deu ao DN e à TSF, o ex-reitor disse que por agora esse é um assunto que não está em cima da mesa.