A utilização de desfibrilhadores em ambulâncias contribuiu para salvar duas vidas por dia no primeiro semestre de 2013, revelou hoje o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), que investiu um milhão para equipar 518 veículos de socorro.

«Os desfibrilhadores automáticos externos (DAE) disponíveis nas ambulâncias de emergência/socorro do INEM e dos seus parceiros, nomeadamente bombeiros, foram utilizados 2.199 vezes no primeiro semestre de 2013», refere um comunicado do instituto.

Segundo o INEM, a utilização específica daquele equipamento permitiu salvar 48 vidas «no próprio local da ocorrência», sendo que no total, e utilizando os vários recursos, as equipas de emergência médica pré-hospitalar conseguiram reverter 354 casos de paragem cardiorrespiratória no primeiro semestre do ano, «ou seja, duas vidas salvas por dia».

O DAE é um dispositivo portátil que permite, através de elétrodos adesivos colocados no tórax de uma vítima em paragem cardiorrespiratória, analisar o ritmo cardíaco e recomendar ou não um choque elétrico.

Ao longo dos últimos três anos o INEM investiu um milhão de euros para dotar todas as ambulâncias de emergência/socorro existentes em Portugal (próprias do INEM, Postos de Emergência Médica e Postos Reserva dos Bombeiros) com o equipamento de DAE, num processo que ficou concluído no passado mês de julho.

Atualmente circulam em território continental 518 ambulâncias equipadas com DAE, entre ambulâncias próprias do INEM (49) e ambulâncias disponibilizadas e operadas por Bombeiros e Cruz Vermelha Portuguesa (469).