A Federação Nacional dos Professores criticou esta terça-feira o "silêncio" do Ministério dos Negócios Estrangeiros face aos problemas dos professores do ensino português na Suíça, admitindo a marcação de uma greve na data de exames.

"Se os salários destes docentes eram já, naquele país, bastante baixos para o nível de vida existente, com a desvalorização do franco suíço em cerca de 20 por cento, tais salários situam-se agora num valor que é cerca de metade do estabelecido como salário mínimo dos trabalhadores suíços", alerta a FENPROF, adiantando que aqueles profissionais encontram-se numa "situação salarial insuportável" perante a "inépcia do governo".


Caso a situação não seja resolvida pelo diálogo, a FENPROF apresentará ao MNE um pré-aviso de greve para o dia 23 de maio, data da realização das provas de certificação do nível proficiência linguística dos alunos do Ensino de Português no Estrangeiro (EPE) na Suíça, refere a Lusa.