O Serviço de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores recebeu durante a noite alguns pedidos de informação da população de São Miguel, na sequência dos mais de cem sismos que estão a afetar a região do Congro.

Cerca de 130 sismos de média magnitude, com valores entre 1,9 e 3,6 na escala de Richter foram registados desde as 02:53 (03:53 em Lisboa) de hoje na ilha de São Miguel, de acordo com informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, disponibilizada às 04:58 locais.

Contactada pela agência Lusa, uma fonte do Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores disse que os serviços receberam alguns pedidos de informação sobre os abalos, mas “sem alarmismos, porque esta situação não é nova para os açorianos”.

A mesma fonte adiantou que o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores está a acompanhar a situação, encontrando-se de prevenção.

O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) adianta em comunicado que desde as 23:47 horas (00:47 em Lisboa) de domingo registou-se um incremento significativo da atividade sísmica na parte central da ilha de S. Miguel, numa zona epicentral localizada entre o Vulcão do Fogo e o Sistema Vulcânico Fissural do Congro.

Segundo o CIVISA, foram registados mais de 100 eventos, tendo os mais fortes sido sentidos em Porto Formoso, Furnas, Vila Franca do Campo, Água d’Alto, Maia, Fenais da Ajuda e Rabo de Peixe, com uma intensidade máxima IV/V.

O CIVISA indica que continua a acompanhar o evoluir da atividade, emitindo novos comunicados se a situação o justificar.

Recomendações

Devido à situação, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores recomenda à população que mantenha a calma e conte com a ocorrência de possíveis réplicas.

A população não deve “acender fósforos nem isqueiros, pois pode haver fugas de gás”, deve observar se a casa sofreu danos graves e sair imediatamente se suspeitar que não oferece condições de segurança”, refere.

O Serviço de Proteção Civil recomenda também que em caso de dúvida sobre a integridade dos circuitos de gás, eletricidade ou água, estes devem ser desligados imediatamente.

“Nunca utilize os elevadores, confirme a validade do seu Kit de emergência e reveja o seu conteúdo com o seu agregado familiar e verifique se existem feridos e, se necessário, preste os primeiros socorros”, indica o serviço de proteção civil.

É também recomendado à população cuidados a ter com vidros partidos ou cabos de eletricidade, a limpar imediatamente os produtos inflamáveis que se tenham derramado e a soltar os animais domésticos.

O Serviço Regional de Proteção Civil pede ainda a população que se afaste das praias porque pode ocorrer uma onda gigante (tsunami), a ligar o rádio e ficar atento às recomendações difundidas.