O ex-presidente do conselho de administração da CP/Fernave, Rui Lucena Marques, foi detido no aeroporto de Lisboa, na passada quinta-feira à noite, quando regressava de Moçambique, segundo apurou a TVI.
 
Rui Lucena Marques é suspeito dos crimes de peculato e de abuso de poder, que terão sido praticados no âmbito de uma ação de cooperação com Angola.

O ex-presidente da Fernave é suspeito de se apropriar de pelo menos 150 mil euros, num total de 200 mil que Angola pagou à empresa portuguesa para custear a formação a maquinistas angolanos.

A detenção foi feita pela Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, e só foi revelada esta terça-feira por comunicado.
 

“O detido foi presente a tribunal, tendo-lhe sido aplicadas como medidas de coação o pagamento de uma caução de 37.500 euros, suspensão de funções públicas ou exercício de cargos de gestão pública e proibição de ausência para fora do país.”


A TVI sabe que Rui Lucena Marques estava a ser investigado há quatro meses e que foi ouvido em primeiro interrogatório na sexta-feira, tendo saído em liberdade.

As autoridades realizaram buscas em vários locais, incluindo na CP e na residência do arguido.

Lucena Marque já tinha um processo disciplinar na CP precisamente pelos mesmos factos.