A notícia do mais vista do mês de novembro poderá muito bem ser o assunto do ano, afinal este foi um evento único em Portugal. Na noite de 21 para 22 de novembro o país parou com a notícia da detenção do ex-primeiro-ministro, José Sócrates, à sua chegada a Lisboa. Nunca um ex-chefe de Governo tinha sido detido na história da democracia portuguesa. 

Nos dias seguintes, Sócrates foi ouvido no Campus de Justiça, em Lisboa, pelo juiz Carlos Alexandre, que acabaria por determinar ao ex-primeiro-ministro a medida de coação mais gravosa que a lei portuguesa permite: a prisão preventiva. Está detido no Estabelecimento Prisional de Évora desde então, por suspeitas dos crimes de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal.

Sócrates: como tudo aconteceu

                      

Outro dos assuntos do ano aconteceu cerca de duas semanas antes, logo nos primeiros dias de novembro. Um surto sem precedentes da bactéria «legionella» infetou mais de 370 pessoas na zona de Vila Franca de Xira, tendo causado 12 mortos até ao momento, segundo as últimas informações da Direção-Geral de Saúde.

Apesar da doença não ser contagiosa, de Vila Franca de Xira chegou a outros hospitais do país, e deixou a população alarmada, que procurou saber como se podia proteger da bactéria.
 
                       

Alarmante foi também as fortes chuvas que voltaram a assolar o continente, como já tinha acontecido em outubro e setembro. Tal como das últimas vezes, as notícias de inundações, especialmente na zona da Grande Lisboa, deixaram moradores preocupados, que acompanharam os desenvolvimentos no site da TVI24. A galeria de fotografias do dia 26 de novembro mostra o que aconteceu.

Duas semanas antes, os leitores da TVI24 ficaram a conhecer a história do médico português, Erique Guedes Pinto, que decidiu escrever uma carta a despedir-se do seu país, antes de emigrar para o Reino Unido. O profissional de saúde foi apenas um dos muitos médicos que abandonaram o país em 2014, só no primeiro semestre foram cerca de 200.

«Mais não consigo fazer. Desisto, estou cansado, desanimado e magoado de tanta falta de consideração humana e profissional (…) Vou claramente contrariado, pois Portugal é o meu país (...)». Estas palavras foram partilhadas mais de 15 mil vezes no Facebook.

A 18 de novembro uma notícia pouco comum com foco na honestidade. Três trabalhadores do lixo, da Póvoa do Varzim, encontraram um envelope com mais de quatro mil euros num centro de processamento de lixo. Um envelope com dinheiro e cheques de uma instituição bancária, que terá caído ao lixo por engano. Os três trabalhadores entregaram a quantia na Câmara Municipal que depois o fez chegar à instituição identificada. Artur Alves, Horácio Costa e José Pinheiro foram distinguidos pela Câmara pela sua honestidade.

Apenas cinco dias antes, os leitores da TVI24 leram e partilharam, mais de 1100 vezes, a história de um pai que filmou a sua despedida do seu filho recém-nascido prematuro , que não resistiu além do quarto dia de vida. Lennon James nasceu com 24 semanas de gestação, órfão de mãe, que morreu no trabalho de parto, e nunca chegou a sair da incubadora. 

Chris Picco, o pai, pediu permissão ao hospital para levar a sua guitarra para o hospital para tocar e cantar para o filho, tal como fazia quando ele estava na barriga da mãe. O menino morreu pouco depois.