A equipa da Polícia Marítima (PM) que está na ilha grega de Lesbos a cooperar na vigilância de fronteiras resgatou 56 emigrantes e refugiados que na madrugada de segunda-feira estavam prestes a afogar-se no mar Egeu.

Num comunicado a PM explica que o resgate aconteceu pelas 06:00 no âmbito de uma patrulha de controlo de fronteiras da União Europeia (que recebeu informação sobre um bote a caminho da Grécia de uma viatura de vigilância costeira) e que todas as pessoas foram transportadas a salvo para terra.

As pessoas “estavam muito assustadas e nervosas. Os homens não respeitavam as ordens da equipa da PM querendo ser resgatados primeiro que as mulheres e crianças”, escreveu a PM no comunicado, explicando também que as 56 pessoas eram 13 bebés e crianças, 10 mulheres e 33 homens.

“Neste grupo viajava uma mulher grávida de 05 meses, uma mulher que necessitou que lhe fosse ministrado oxigénio, um homem paraplégico, um homem com problemas nos rins e suspeitou-se que uma das crianças tivesse meningite”, pormenoriza-se no comunicado.

Os migrantes eram oriundos do Afeganistão, Argélia, Curdistão, Eriteia, Etiópia, Irão, Iraque, Paquistão e Síria.

A PM já resgatou e transportou para terra 3.674 refugiados e emigrantes, dos quais 894 bebés e crianças e 793 mulheres, e deteve 5 facilitadores. A equipa é composta por 11 agentes e dois técnicos. A missão da PM termina no dia 30 de setembro.