O Instituto da Segurança Social (ISS) informou esta quarta-feira que está a efetuar a avaliação e caracterização individual e familiar dos 74 refugiados sírios retidos no aeroporto de Lisboa por uso de passaportes falsos.

Tripulação da TAP ameaçada para embarcar 74 sírios

«Neste momento, o Instituto da Segurança Social está a efetuar a avaliação e caracterização individual e familiar de todos os envolvidos de forma a garantir respostas de vida integradas que respeitem em absoluto as suas características e direitos», refere uma nota do ISS.

Um grupo de 74 passageiros sírios proveniente de um voo da Guiné-Bissau foi, na terça-feira, retido no aeroporto de Lisboa por uso de passaportes falsificados da Turquia.

Segundo o Instituto da Segurança Social o grupo de refugiados é constituído por 51 adultos e 23 menores.

O ISS garante ainda que está a acompanhar a situação dos 74 sírios «desde a primeira hora, tendo assegurado o acolhimento de todas as pessoas em equipamentos adequados para o efeito».

A presidente do Conselho Português de Refugiados (CPR), Teresa Tito Morais, afirmou à agência Lusa que os refugiados já pediram asilo político a Portugal, adiantando que vão ficar no país até ao fim do processo de estatuto de refugiados.

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, e o Ministério dos Negócios Estrangeiros remeteram esclarecimentos sobre o assunto para o Ministério da Administração Interna.