A Unidade de Controlo Costeiro (UCC) da GNR resgatou na quinta-feira 133 refugiados e migrantes no mar Egeu, elevando para 297 as pessoas recuperadas pela força portuguesa em menos de um mês na Grécia, anunciou hoje a corporação.

Segundo a GNR, os resgates foram feitos por militares da UCC destacados nas ilhas gregas de Samos e Kastellorizo no âmbito da missão da Agência Europeia de Fronteiras e Guarda Costeira (Frontex).

Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana adianta que as 133 pessoas foram resgatadas na quinta-feira durante ações de patrulhamento marítimo.

Aquela força de segurança refere que dois resgates ocorreram a sul de Pitagorio – Samos, tendo sido recuperados do mar, numa primeira vez, 46 migrantes, dos quais 21 crianças e 11 mulheres, e, mais tarde, 52 pessoas (24 crianças e 11 mulheres).

Os militares da UCC resgataram ainda, na ilha de Ro, junto a Kastellorizo, 35 migrantes, dos quais 17 crianças e 11 mulheres, que se encontravam em rochas, local para onde nadaram após a embarcação em que seguiam ter naufragado.

A GNR adianta que os 133 refugiados e migrantes foram resgatados para embarcações portuguesas, tendo sido entregues às autoridades helénicas em segurança.

Esta operação da Frontex tem como principais objetivos prevenir, detetar e reprimir ilícitos relacionados com a imigração ilegal, tráfico de seres humanos e outros crimes transfronteiriços, contribuindo fundamentalmente para a salvaguarda de vidas humanas no mar através de missões de busca e salvamento.

A GNR refere ainda que a força portuguesa destacada na Grécia resgatou, em menos de um mês, 297 migrantes do mar Egeu.