Um navio patrulha da Marinha Portuguesa detetou e intercetou, no sábado, uma embarcação de madeira sobrelotada com 18 migrantes tunisinos a navegar em direção à costa italiana de Lampedusa.

A Marinha adianta em comunicado que os migrantes, todos homens, “recusaram parar a embarcação, pelo que foram acompanhados” pelo navio patrulha oceânico Viana do Castelo até ao mar territorial italiano.

A embarcação de madeira acabou por ser intercetada nesse local por fuzileiros portugueses, a pedido das autoridades italianas e em apoio a uma embarcação da Guarda Costeira italiana, que também se dirigiu para a zona.

O Viana do Castelo encontra-se em missão de apoio à vigilância de fronteiras externas marítimas no Mediterrâneo central, ao serviço da Agência Europeia FRONTEX, estando também preparado para efetuar salvamentos em massa de migrantes provenientes da costa norte de África, explica a Marinha.

Este navio patrulha português navega desde a passada sexta-feira ao largo de Lampedusa, ilha italiana situada entre Sicília e a Tunísia, onde estará em missão até 09 de novembro.

Integram também a missão a bordo do navio da Marinha portuguesa dois inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), um elemento da Guarda Costeira italiana e um elemento da Guardia di Finanza.