A polícia espanhola anunciou esta quinta-feira a detenção do cabecilha de uma rede internacional que traficava droga em Portugal e Espanha, que em setembro do ano passado tentou introduzir 1.300 quilos de cocaína através do Algarve.

O chefe da quadrilha, um cidadão holandês, foi detido na Holanda por elementos da polícia espanhola, em colaboração com as autoridades holandesas. Foram apanhados dois outros elementos do grupo, um outro cabecilha e um colaborador, também eles de nacionalidade holandesa.

As autoridades policiais revistaram três casas dos detidos, onde apreenderam documentação relativa à organização criminosa que atuava em Portugal, Espanha e Holanda, bem como uma espingarda (calibre 0.22), munições, uma máquina de contar notas e telemóveis com sistemas de encriptação.

Este narcotraficante era o máximo responsável da quadrilha que, em setembro de 2014 tentou introduzir no Algarve (em Tavira e Faro) 1.300 quilos de cocaína, que foram apreendidas no decorrer de uma operação conjunta que envolveu a Polícia Judiciária. Na sequência da apreensão da droga no Sotavento algarvio em 2014 foram também detidas nove pessoas: portugueses, espanhóis e holandeses.

Segundo a polícia espanhola, os holandeses entraram em contacto com um grupo de narcotraficantes espanhóis em meados do ano passado para coordenar a entrada na Península Ibérica de um carregamento de droga que seria transportado da América Latina a bordo de um veleiro.

Os espanhóis - com base em Huelva e Sevilha (Andaluzia) - contactaram então um grupo de traficantes portugueses da zona de Faro, para que a droga pudesse ser desembarcada em território português.

Toda esta operação foi dirigida pessoalmente e presencialmente - em Espanha -pelos cabecilhas holandeses agora detidos. Os dois chefes - um deles o líder - têm 48 e 61 anos e residiam nas localidades de Baarm e Arnhem.

Ambos os homens escaparam à detenção em setembro do ano passado porque tinham regressado à Holanda poucos dias antes da apreensão da droga em Tavira.

Parte da droga - 600 quilos - foi apreendida já nos carros dos traficantes, em 20 mochilas com cinco blocos de cocaína em cada uma delas. Outros 700 quilos foram recolhidos num terreno perto de Faro, também empacotada e dentro de 24 mochilas.

A apreensão dos 1.300 quilos de cocaína em Tavira foi uma das maiores do ano em Portugal e na Europa, disse na altura à Lusa o diretor da PJ de Faro, Luís Mota Carmo. O valor de mercado da droga apreendida foi estimado em perto de 80 milhões de euros.