A Câmara municipal de Lisboa revelou no site oficial que a greve do lixo foi, em parte, desconvocada com «efeitos a partir das 22:00 de 12 de junho», ou seja, na tradicional noite de Santo António, de 12 para 13 de junho, já se realizará a recolha do lixo.

No entanto, esta quarta-feira a greve mantém-se e a recolha de lixo será afetada este noite, a partir das 22:00 e durante o dia de quinta-feira. À noite, a partir das 22:00, a recolha voltará a funcionar com normalidade, confirmou à TVI24 fonte do Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa (STML).

A Câmara Municipal de Lisboa e o Sindicato chegaram a acordo sobre várias questões, entre as quais se destaca um novo concurso para entrada de 150 cantoneiros.

Na reunião com o STML, realizada na terça-feira à noite, o executivo municipal «propôs a implementação de um conjunto de medidas que traduzem um forte investimento nos trabalhadores e nos serviços municipais», lê-se no comunicado da autarquia.

«Consideramos que são avanços importantes. No entanto, como há uma série de questões que vão ser negociadas e discutidas mais à frente, mantemos o dia 12 [de junho] como greve para toda a câmara, à exceção do RSB», explicou hoje Vítor Reis, dirigente do STML, afirmando que «os trabalhadores ficaram apreensivos» quanto a estas propostas.

Ainda assim, houve avanços nas negociações. Das medidas apresentadas na terça-feira à noite, e que geraram consenso entre o STML e a CML, destaca-se «a abertura imediata de concurso para recrutamento e seleção de 150 cantoneiros de limpeza na modalidade de contrato de trabalho para o mapa de pessoal do município de Lisboa», de acordo com o comunicado emitido pela câmara.

Segundo a mesma nota, em cima da mesa esteve também «a admissão imediata de 150 cantoneiros de limpeza, 125 em regime de contrato de prestação de serviços e 25 em regime de contrato de emprego e inserção».

Estas propostas vêm responder a uma das reivindicações do STML, que se centra na falta de pessoal e que tem vindo a gerar um elevado número de horas de trabalho e más condições laborais.

De acordo com o comunicado da CML, as medidas apresentadas naquele encontro passaram também «pelo pagamento do respetivo suplemento, no trabalho extraordinário realizado por todos os trabalhadores em período noturno».

Vítor Reis, do STML, adiantou à Lusa que a autarquia também vai fazer «o pagamento de trabalho extraordinário aos acidentados, desde janeiro de 2013, como a lei prevê, e que a câmara não estava a aplicar».

Quanto ao RSB, a CML assegurou, naquele comunicado, que «vai abrir de imediato concurso para uma recruta de 50 bombeiros sapadores, tendo em vista igualmente a celebração de contrato de trabalho para o mapa de pessoal do município de Lisboa e ainda vai abrir concurso para adquirir equipamentos de fardamento, botas e proteção individual para os bombeiros, de forma a cobrir a totalidade do regimento».

A CML e o STML voltam a reunir-se a 30 de junho para tentar chegar a acordo sobre as restantes questões levantadas pelos representantes dos funcionários.