O presidente do INEM disse esta quinta-feira esperar que, dentro de dez anos, uma quantidade significativa de jovens saiba fazer manobras de Suporte Básico de Vida e, assim, impedir as paragens cardiorrespiratórias que diariamente afetam entre 25 a 30 pessoas.

O primeiro passo com vista à formação em Suporte Básico de Vida (SBV) foi dado com a assinatura do protocolo entre o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e a Direção Geral da Educação (DGE) que vai possibilitar a formação desta técnica a alunos do terceiro ciclo do ensino básico e a professores e funcionários.

Paulo Campos, que participou na cerimónia de assinatura do protocolo, que decorreu na escola D. Pedro V, em Lisboa, recordou que entre 25 a 30 pessoas por dia sofrem uma paragem cardiorrespiratória.

«Dentro de dez anos teremos os cidadãos preparados para serem o primeiro elo da cadeia de sobrevivência».


De acordo com o conceito de cadeia de sobrevivência, existe um conjunto de procedimentos e atitudes que, quando desencadeados de forma adequada e eficaz, aumentam a possibilidade de sobrevivência de vítimas de paragem cardiorrespiratória.

«É por isso fundamental que quem presencia este tipo de ocorrência reconheça a gravidade da situação e saiba como atuar, ligando de imediato 112 e iniciando manobras de SBV», prossegue o INEM.

Para Paulo Campos, o dia de hoje é «tão importante quanto o da criação do INEM, em 1981».

O secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, também presente no encontro, sublinhou a importância do protocolo, alertando para a inevitabilidade dos acidentes.

«Os acidentes e imprevistos podem acontecer a qualquer um.»


Segundo o secretário de Estado e Adjunto do ministro da Saúde, Fernando Leal da Costa, «Portugal está a preparar-se para responder com cada vez mais eficácia às paragens cardiorrespiratórias».

Fernando Leal da Costa aproveitou a sua presença na cerimónia de assinatura do protocolo para se dirigir aos jovens que esta quinta-feira receberam a primeira aula de SBV e alertar para os efeitos nefastos do tabaco, do álcool e da droga.