A participação portuguesa na missão europeia na República Centro Africana, com início previsto para 20 de maio, foi adiada para «data a definir», informou o Ministério da Defesa esta quinta-feira.

Em comunicado, o ministério adianta que as autoridades portuguesas foram informadas pelo comandante da operação que «devido a constrangimentos técnicos foram feitas alterações ao plano de utilização de bases aéreas desta missão».

«Assim os meios disponibilizados por Portugal, tal como de outros países que contribuem para a missão, não poderiam ser convenientemente utilizados (...). Foi solicitado a Portugal que mantenha disponibilidade para uma futura participação nesta missão, em data a definir», pode ler-se na nota.

Portugal participa na missão europeia na República Centro Africana com um avião C-130 e 47 militares para operações de apoio logístico, acrescentou o ministro, numa audição na comissão parlamentar de Defesa Nacional.

A missão deveria ter início a 20 de Maio e prolongar-se até 20 de Junho de 2014.

Portugal é um dos 13 países que contribuem para a missão militar da União Europeia na República Centro-Africana que deverá estar no terreno no final de maio.

A participação portuguesa nesta missão tem um caráter de «afirmação da importância estratégica da região» e de defesa «do interesse nacional», disse na semana passada o ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, numa audição na comissão parlamentar de Defesa Nacional.

Para além do objetivo geral da missão europeia, de reposição da ordem pública e de assegurar a estabilidade da região, Aguiar-Branco disse que Portugal atribui uma «importância política ao reforço da coesão dos países que participam na realidade preventiva em relação ao Golfo da Guiné».