O Ministério Público (MP) acusou duas pessoas de matar um rapaz de 16 anos, estrangulando-o com um cinto, de queimar o corpo com gasolina e escondê-lo num quintal em Chaves, adiantou hoje a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto.

Além de homicídio qualificado e profanação de cadáver, os arguidos, de 31 e 19 anos, estão acusados de oito crimes de roubo, um crime de furto qualificado e dois de incêndio, frisou a PGD.

Segunda a acusação do MP, citada na nota da Procuradoria, os arguidos, que mantinham uma relação amorosa, decidiram planear e fazer vários assaltos na rua para obter dinheiro, abordando sempre mulheres e roubando-lhes, por esticão, carteiras e objetos em ouro.

Os roubos foram realizados em 2015, no Peso da Régua, Vila Pouca de Aguiar, Lamego, Chaves e Vila Real, referiu.

A acusação salienta ainda que entre 26 de setembro e 10 de outubro desse ano, numa casa em Chaves, os arguidos, com receio de serem denunciados, mataram um rapaz de 16 anos, namorado da filha da arguida, desferindo-lhe murros em diversas partes do corpo, pancadas na cabeça com uma fritadeira e estrangulando-o com um cinto.

"Posteriormente, pretendendo desfazer-se do cadáver colocaram-no na banheira da casa, queimaram-no usando gasolina e enterraram-no num quintal", sustentou.

O MP considerou que a filha da arguida, de 13 anos, acompanhou os suspeitos em vários assaltos, tal como nas "manobras" de incineração e enterramento do corpo da vítima, seu namorado.

Os alegados homicidas estão em prisão preventiva, medida de coação mais gravosa.