O 18.º estudo da Mercer - “Quality of Living 2016” – revelou que Lisboa continua a fazer parte da lista das cidades com melhor qualidade de vida, numa lista de 230 cidades. No entanto, a capital portuguesa desceu um lugar na tabela, contrariando a tendência de melhoria dos últimos anos. 

O estudo revela que, apesar dos recentes acontecimentos com impacto na segurança e na estabilidade social e das preocupações económicas que voltam a ensombrar a economia, as cidades europeias continuam a oferecer os mais altos níveis de qualidade de vida a nível mundial- 

No último ano aumentaram as ameaças quer a nível nacional como global, bem como os movimentos migratórios como resultado da violência em determinadas zonas geográficas e a instabilidade social num número significativo de cidades que são importantes centros de negócio a nível mundial. Estes factos juntam-se ao complexo desafio que as multinacionais enfrentam na análise de segurança e condições de vida dos seus colaboradores expatriados”, refere Tiago Borges, responsável da área de Talent da consultora. 

Viena lidera o ranking

Viena continua a ser a cidade com melhor qualidade de vida, seguida de Zurique, Auckland (Nova Zelândia) e Munique. Por sua vez, a cidade norte-americana com melhor posição no ranking é Vancouver, em quinto lugar, wnquanto nos EUA, São Francisco (28º) encontra-se na posição mais alta, seguindo-se Boston (34º), Honolulu (35º), Chicago (43º) e Nova Iorque (44º). Já Singapura é a cidade asiática melhor classificada encontrando-se no 26º lugar, enquanto Daca (214º, Bangladesh) é a pior..

Apesar das incertezas económicas, as cidades da Europa Ocidental continuam a disfrutar do mais alto nível de qualidade de vida a nível global, preenchendo sete lugares no top 10. Viena permanece na liderança do ranking, à semelhança dos últimos sete rankings. Segue-se Zurique (segundo lugar), Munique (quarto lugar), Dusseldorf (sexto lugar), Frankfurt (sétimo lugar), Genebra (oitavo lugar) e Copenhaga (nono lugar). 

Lisboa surge classificada em 42º lugar da tabela, descendo um lugar relativamente ao ano anterior. Apesar da tendência de subida que se tinha vindo a verificar, a capital portuguesa posiciona-se imediatamente acima de cidades como Chicago (43º), Nova Iorque e Tóquio (ambas em 44º).

A cidade da Europa Central e Oriental melhor posicionada é Praga, que surge em 69º lugar, seguida por Liubliana (76º lugar) e Budapeste (77º lugar). Já Kiev (176º), Tirana (179º) e Minsk (190º) são as cidades que ficaram pior posicionadas na Europa.

As cidades mexicanas de Monterrey (108º) e Cidade do México (127º lugar) são as piores classificadas quanto à qualidade de vida no norte da América.

Na América do Sul, Montevideo (78º), Buenos Aires (93º) e Santiago (94º) permanecem as mais bem cotadas no ‘ranking’ de qualidade de vida, enquanto Bogotá (130º), La Paz (156º) e Caracas (185º) são as piores.

Dubai (75º) continua a ser uma das cidades mais bem cotadas em termos de qualidade de vida em África e no Médio Oriente, seguida de Abu Dhabi (81º, Emirados Árabes) e Port Louis (83º, Ilhas Maurícias).

Luxemburgo é a cidade mais segura

O estudo revela ainda o ranking de segurança pessoal para toda a lista de cidades, baseando-se na estabilidade interna, criminalidade, aplicação da lei local e na relação do país com outros. Neste domínio, a tabela é liderada pelo Luxemburgo, seguindo-se Berna, Helsínquia e Zurique – todas empatadas em segundo lugar. 

Por sua vez, Viena encontra-se em quinto lugar, Genebra e Estocolmo estão ambas posicionadas em sexto lugar, e Copenhaga, Dusseldorf, Frankfurt, Munique e Nurnberg partilham o 11º lugar.

Segundo o estudo, algumas capitais-chave encontram-se em níveis algo baixos do ranking, já que muitas sofreram ataques terroristas ou passaram por instabilidades sociais nos últimos anos, como é o caso de Paris (71º), Londres (72º), Madrid (84º) e Atenas (124º). 

O recente tumulto político e económico na Grécia, que resultou em manifestações violentas em Atenas e outras cidades do país, abalou o ranking de segurança do mesmo. Kiev (189º), São Petersburgo (197º) e Moscovo (206º) encontram-se nos níveis mais baixos do ranking de segurança pessoal da região. 

Relativamente ao nível da segurança pessoal, Lisboa encontra-se em 59º lugar, encontrando-se acima de cidades como Lyon (62º), Milão (63º) ou Barcelona (64º).

Abu Dhabi encontra-se no nível mais alto do ranking de segurança (23º lugar), seguida de Muscat (29º, Omã), Dubai (40º) e Port-Louis (59º). As cidades menos seguras do mundo são Bagdad (230ª posição) e Damasco (229ª posição).