Os portugueses são dos cidadãos europeus menos satisfeitos com a vida, como os cipriotas, gregos, húngaros e romenos, apenas ultrapassados pelos búlgaros, e a situação financeira é a principal origem do pessimismo, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo Eurostat.

De acordo com um boletim do gabinete de estatísticas da União Europeia (UE) sobre qualidade de vida, em Portugal a satisfação geral face à vida é pontuada em 6,2 (numa escala de zero a 10) – um empate com Chipre, Grécia, Hungria e Roménia, a segunda pior pontuação.

A situação financeira, com 4,5 pontos (UE 6,0) é o item que mais insatisfação causa em Portugal, que apresenta o terceiro pior resultado depois da Bulgária (3,7) e da Grécia (4,3).

Os espaços verdes e recreativos são o segundo item menos pontuado em Portugal, com 6,0 (UE 7,1) – a segunda menor nota dos 28, depois dos 5,9 da Grécia -, seguindo-se o quadro de vida, com 6,3 (UE 7,3) e a utilização do tempo, com 6,5 (UE 6,7).

As relações pessoais são o aspeto da vida privada mais valorizado pelos portugueses, com 7,9 pontos (UE 7,8), seguindo-se o tempo do trajeto entre a casa e o local de trabalho, com 7,5 (UE 7,4), a habitação, com 7,3 pontos (UE 7,5), e o emprego, com 7,0 (UE 7,1).

Os búlgaros são os cidadãos mais insatisfeitos com a sua vida em geral (4,8 pontos), numa tabela liderada pela Dinamarca, Finlândia e Suécia (8,0 pontos cada), sendo a média da UE de 7,1 pontos.