A Segurança Social informou, esta quarta-feira, que está «a acompanhar de perto» o caso de uma menor internada em estado grave no Hospital de Santa Maria, que terá fugido de uma instituição de menores.

Uma fonte da PSP disse à agência Lusa que «a jovem já foi identificada» e «terá fugido de um colégio na margem sul», tendo caído no passado no dia 18 na linha do comboio em Sacavém, «encontrando-se em estado grave» no hospital de Santa Maria, em Lisboa.

Contactado pela Lusa, o Instituto de Segurança Social (ISS) disse que «está a acompanhar de perto este caso», mas que «não é possível fornecer informação» sobre esta situação que envolve uma menor.

«Toda a intervenção em matéria de promoção e proteção dos direitos das crianças e jovens é orientada pelo princípio do superior interesse da criança, da privacidade», que «engloba o respeito pela intimidade, direito à imagem e reserva da vida privada» da menor, explica o ISS numa resposta escrita enviada à Lusa.

A Segurança Social sublinha que, «mesmo assegurado o anonimato, já que não é só a identidade» que está em causa neste caso, estes princípios «resultam claramente ofendidos pela exposição pública».

«Em contexto de processos de promoção e proteção, ou como preliminar dele nas situações de emergência (quando exista perigo atual ou iminente para a vida e integridade física da criança), a privacidade e confidencialidade de uma situação familiar e pessoal constituem deveres profissionais para os técnicos da Segurança Social», sustenta.

O Correio da Manhã noticiou na segunda-feira que uma menor, com cerca de 13 anos e não identificada, está internada desde a semana passada no hospital, com ferimentos graves, depois de ter caído numa linha de comboio em Sacavém e sido arrastada.

Durante vários dias a jovem ficou por identificar, não tendo recebido quaisquer visitas no hospital, referiu o jornal.

Contactada pela agência Lusa, a PSP disse que o acidente aconteceu às 22:40 de quarta-feira da semana passada e que a polícia continua a investigar o caso.

A Lusa contactou o Hospital de Santa Maria que confirmou apenas a presença da menor naquela unidade hospitalar desde o dia 18 deste mês.