A PSP detetou seis infrações "muito graves" numa empresa de segurança privada de Braga, incluindo trabalhadores sem contrato ou em situação irregular e registos de atividades desatualizados, informou aquela força policial.

Em comunicado, a PSP refere que esta ação, a cargo Departamento de Segurança Privada da Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública (DSP), insere-se no âmbito de diversas inspeções "realizadas no seguimento de várias queixas e reclamações feitas por empresas de segurança privada relativamente à atividade de segurança irregular, praticada a baixos preços e que constitui, por si só, concorrência desleal".

Na empresa alvo de ação, adianta o texto, os agentes detetaram "falta de contratos de prestação de serviços entre a empresa e sete entidades contratantes" e "falta de conformidade com a lei vigente em sete contratos de prestação de serviços de segurança privada em estabelecimentos comerciais e industriais".

Foi também verificada a "ausência de contratos de trabalho entre a empresa e dez seguranças privados", "a falta de atualização de ficheiros individuais de três vigilantes afetos à empresa".

A DSP detetou ainda que um dos vigilantes "aleatoriamente selecionado" não podia exercer a atividade "por ter anotações no respetivo registo criminal".

Além das infrações enumeradas, a DSP aponta a "não atualização dos registos de atividades respetivos a todos os clientes para os quais os contratos de prestação de serviços apresentavam irregularidades, bem como o incumprimento das obrigações relacionadas com a utilização de sistemas de videovigilância".