A PSP deteve na segunda-feira um dos administradores da discoteca Urban Beach por desobediência, depois de o espaço noturno lisboeta ter reaberto para realizar uma festa privada, disse hoje à Lusa fonte daquela força de segurança.

A mesma fonte adiantou que o administrador foi detido por ter desobedecido ao despacho do Ministério da Administração Interna que tinha ordenado o encerramento do espaço durante seis meses.

O encerramento aconteceu após um episódio de agressões cujo vídeo foi tornado público no dia 2 de novembro e também a existência de 38 queixas apresentadas à PSP desde o início do ano, por alegadas práticas violentas ou atos de natureza discriminatória ou racista".

A PSP deslocou-se ao Urban Beach, cerca das 23:00 de segunda-feira, na altura em que decorria uma festa privada, tendo encerrado novamente o local e detido um administrador.

A 2 de novembro foi divulgado um vídeo onde se vê seguranças da discoteca a agredirem violentamente um homem que aparentemente estava indefeso e não demonstrava qualquer resistência.

Donos negam detenção de administrador e reabertura ilegal

O Grupo K, proprietário da discoteca Urban Beach, recusou hoje que qualquer dos seus administradores tenha sido detido por violação da ordem de encerramento do espaço, negando ainda qualquer reabertura do Urban Beach.

As notícias divulgadas por suposta fonte da PSP carecem de qualquer sentido, sendo certo que a discoteca Urban Beach ainda não abriu as suas portas, encontrando-se na fase final do processo de fiscalizações e vistorias por parte das entidades competentes e necessárias à sua reabertura”, afirma o Grupo K em comunicado hoje divulgado pela sua assessoria.

Segundo o comunicado, na segunda-feira, dia 18, decorreu um evento privado em alguns espaços do grupo empresarial, “nomeadamente o Kais Restaurant, o Skones Club e a Adega do Kais”, que por não terem capacidade para acolher o elevado número de convidados obrigaram a deslocar um grupo de pessoas para o Papagayo Restaurant, no espaço da Urban Beach, “onde lhes foi apenas servido o jantar sem transação comercial” e onde permaneceram, no máximo, 90 minutos.

Quando a PSP se deslocou ao local, já a refeição tinha terminado e as pessoas estavam a regressar ao Kais Restaurant. Foi nesse momento que a PSP interpelou um administrador do Grupo K, que se prontificou de imediato a deslocar-se à esquadra para prestar todos os esclarecimentos necessários”, explica o comunicado.

A nota conclui referindo que a reabertura da discoteca Urban Beach se encontra “em fase de planeamento, não estando previsto que o mesmo ocorra numa segunda-feira ou com um evento privado”.