A palavra de ordem é «negociar». A psicóloga Cristina Valente, autora do livro «Coaching para Pais», diz que é preciso gerir as saídas à noite na adolescência com «firmeza», mas sem entrar em «disputa» ou criar «braços de ferro».

«Os pais devem dar aos filhos um ambiente de consequências. Negociar com eles. (...) Tratar a responsabilidade como um assunto técnico. Mais técnico do que moral. Porque se for moral nós estamos envolvidos emocionalmente e isso deixa-nos ser pouco eficazes na negociação», alerta, em entrevista ao «Diário da Manhã» da TVI.

Para negociar é preciso perguntar. «Quando a criança se sente ouvida, quando o adolescente se sente ouvido, tudo é mais fácil», garante.

Gerir as saídas à noite, nos dias de hoje, não é uma tarefa fácil. «É óbvio que, hoje em dia, nós temos muito medo do que possa acontecer à noite. Por isso é que é tão importante nós abrirmos um canal de comunicação desde muito cedo com a criança», acrescenta.

Cristina Valente alerta que «há sempre coisas que vão correr mal na adolescência e isso é normal», mas podem correr um pouco melhor se houver honestidade e franqueza por parte dos pais. «É muito bom dizermos ao miúdo ¿eu tenho muito medo daquilo que te possa acontecer à noite¿. A coisa mais importante é os adolescentes perceberem que temos medo e muitas vezes não falamos do nosso medo daquilo que lhes possa acontecer. (...) os miúdos vão perceber que são desejados e compreendem a aflição dos pais», sublinha.