A Federação Distrital de Setúbal do Partido Socialista disse hoje que faltam médicos nos hospitais da região, defendendo que se regista «uma demora inaceitável» na aprovação de novas contratações.

«Faltam entre 50-80 médicos no Hospital Garcia de Orta e 87 médicos na Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano. Os Centros Hospitalares de Setúbal e Barreiro-Montijo também se debatem com problemas a este nível», afirma a federação em comunicado enviado à Lusa.

Os socialistas defendem que as aposentações não são substituídas atempadamente por novos profissionais de todas as áreas, salientando que existe um défice crescente.

«Tornou-se absolutamente evidente a inexistência de uma gestão de recursos humanos, refém do Ministério das Finanças que tem de aprovar todas as contratações com uma demora de decisão inaceitável», acrescenta.

A Federação de Setúbal do PS frisa que, no verão, se verifica um aumento população na Península de Setúbal e no Litoral Alentejano, mas que o «necessário reforço dos cuidados médicos não foi acautelado».

«A denúncia agora feita pelos mais de 40 médicos do Hospital Garcia de Orta é um sinal claro de que o discurso quase eufórico do PSD no Distrito não coincide, de todo, com a realidade», conclui.