Dois manifestantes foram detidos esta terça-feira pela GNR próximo de Arrimal, distrito de Leiria, na sequência de um protesto de mais de uma centena de suinicultores, que por duas vezes na terça-feira cortaram a Estrada Nacional 1.

Os manifestantes, um dos quais sofreu ferimentos durante o confronto com a GNR, foram detidos cerca das 23:30, durante o segundo corte da Estrada Nacional 1 (EN1), onde os suinicultores por duas vezes despejaram cargas de brita, criando uns montes que bloqueavam as faixas.

A concentração teve início às 14:00 de terça-feira, com a realização de um plenário nas proximidades da Benedita, no concelho de Alcobaça, de onde os produtores de carne de suíno rumaram a Rio Maior, concentrado junto às Carnes Nobre, uma das maiores empresas de produtos transformados.

Já a manifestação, iniciada às 15:15, decorreu de forma pacífica até às 19:00, hora a que terminou uma reunião entre a administração da empresa e quatro elementos do gabinete de crise, recebidos pelos responsáveis da unidade fabril.

Os ânimos exaltaram-se depois de o porta-voz do gabinete, João Correia ter informado os manifestantes de que do encontro não resultou a promessa de a empresa reduzir o recurso a carne de porco espanhola, que os suinicultores dizem ser a base de 95% dos transformados, mas a administração diz ser apenas cerca de 50%.

Dois dos manifestantes saltaram o muro e tentaram invadir a fábrica, em confronto com elementos do Pelotão de Intervenção Rápida do Comando Territorial da GNR de Santarém, que desde o início do protesto se encontrava no pátio da empresa.

Os suinicultores, munidos de bandeiras e entoando palavras de ordem exigindo a demissão do Ministro da Agricultura, Capoulas Santos, deslocaram-se depois para Vendas das Raparigas, na freguesia de Benedita, onde, com recurso a camiões, impediram a passagem do trânsito.

Os suinicultores despejaram brita numa das faixas, impedindo o trânsito no sentido sul-norte e durante mais de meia hora a circulação fez-se de forma bastante lenta, sob orientação da GNR.

No local estiveram, desde as 21:00, várias carrinhas e uma grua do Pelotão de Intervenção Rápida do Comando Territorial da GNR de Santarém e brigadas cinotécnicas, que impediram os manifestantes de se concentrarem na estrada.

A indignação voltou a subir de tom cerca das 21:30, quando uma máquina da Junta de Freguesia da Benedita tentou proceder à retirada da brita, tendo sido apedrejada pelos suinicultores.

A operação foi realizada meia hora depois, com a intervenção dos militares do pelotão de intervenção, que retiveram os manifestantes numa rua adjacente até às 23:00, para permitir a retirada da pedra e a lavagem da via, realizada pelos Bombeiros da Benedita.

O grupo abandonou o local para se concentrar dez quilómetros à frente, próximo do cruzamento do Arrimal, onde uma máquina está a proceder a operações de limpeza e a GNR mantém os suinicultores confinados a uma zona na berma da estrada.