A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou em Portugal continental 221 ocorrências relacionadas com o mau tempo desde as 00:00 até às 16:45 de hoje, disse à agência Lusa o adjunto nacional de operações.

«Temos o registo de 221 situações devido ao mau tempo, sendo o distrito de Lisboa, com 84 registos, o distrito onde há o maior número de situações que têm a ver sobretudo com inundações da via pública», informou Miguel Cruz.

Segundo dados fornecidos pelo Regimento Sapadores de Lisboa (RSL) registaram-se 121 ocorrências entre as 14:00 e as 16:00, devido às inundações que ocorreram na cidade de Lisboa.

«Há o registo no dia de hoje de 156 ocorrências, 121 das quais relativas a inundações que aconteceram na cidade de Lisboa a partir das 14:00, hora a que se verificou o maior pico de chuva», adiantou à Lusa fonte dos RSL.

De acordo com a mesma fonte do RSL, foram mobilizados para o terreno todos os elementos e equipas dos sapadores, acrescentando que o regimento, cerca das 16:10, continuava a ter «muitas chamadas telefónicas em espera».

Uma das zonas mais afetadas pelo mau tempo é a baixa de Lisboa, com várias ruas completamente submersas de água.

A Escola Básica Delfim Santos, no Alto dos Moinhos, em Lisboa, teve de ser encerrada devido a uma inundação.

Precipitação em Lisboa corresponde a valores normais de aviso amarelo

Os valores de precipitação acumulada em Lisboa entre as 13:00 e as 15:00 enquadram-se dentro dos limites de referência para uma situação de aviso amarelo, revelou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com valores provisórios revelados pelo IPMA, o valor de precipitação mais elevado foi registado na estação meteorológica na Gago Coutinho, em Lisboa, com uma precipitação de 18.7 milímetros (correspondente à queda de 18,7 litros por metro quadrado).

No Instituto Geofísico a precipitação acumulada neste período de duas horas foi de 13.2 milímetros, nas Amoreiras de 8.0 milímetros e na Amadora de 7.0 milímetros.

Estes valores, de acordo com o IPMA, «enquadram-se no limiar do aviso meteorológico amarelo».

Fonte do instituto acrescentou que estes valores correspondem aos locais de medição mais significativos do IPMA, em Lisboa, mas, «tendo em conta a análise de imagens de radar, é provável que noutros locais da cidade de Lisboa os valores de precipitação possam ter sido mais elevados».

«Estes valores de precipitação deveram-se à formação de sistemas convectivos de forte atividades em regiões localizadas, traduzindo-se numa distribuição irregular da precipitação, em particular na região da grande Lisboa e o mesmo acontecendo noutras regiões do território», disse à Lusa o meteorologista Nuno Moreira.