A Federação Nacional da Educação (FNE) defendeu que devem ser ressarcidos os professores que efetuaram despesas na sequência de erros de colocação, mesmo que já não consigam recuperar as faturas.

A FNE manifestou esta quarta-feira preocupação com a situação dos professores que não dispõem de todos os comprovativos de despesa, na sequência do anúncio de que está aberto o período para reclamarem o pagamento de despesas realizadas, dentro de 15 dias.

Os requerimentos devem ser «acompanhados de cópias dos documentos comprovativos das despesas», afirma a FNE em comunicado, referindo-se às compensações a pagar aos docentes que foram prejudicados pela anulação da primeira Bolsa de Contratação de Escola (BCE).

A federação manifesta preocupação com a situação dos docentes que não têm todos os comprovativos e considera que as despesas monetárias (efetuadas com transportes e alugueres, por exemplo) são apenas parte “do impacto negativo” causado aos professores e às famílias.

«Ao menos os prejuízos de âmbito financeiro devem ser totalmente cobertos, independentemente da capacidade de prova que os docentes possam apresentar», defende a estrutura sindical.

A FNE pede «flexibilidade à comissão de acompanhamento criada pelo Ministério da Educação» e disponibiliza-se para prestar apoio aos docentes neste processo.