A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) reúne, este sábado, o Conselho Nacional para analisar formas de luta contra medidas políticas que considera gravosas para os docentes e começar a elaborar propostas a apresentar aos partidos políticos.

Para a Fenprof, o ano começa com um conjunto de problemas herdados de 2014 e novas medidas que contesta, como a transferência de mais competências para os municípios em matéria de educação, aprovadas em Conselho de Ministros na quinta-feira.

«Esta decisão, levantando fortes dúvidas de enquadramento jurídico-constitucional, é contudo uma matéria de ordem político-ideológico e que a prosseguir poderá reconfigurar completamente o sistema educativo português», afirma a estrutura sindical, em comunicado, citado pela Lusa.

A federação teme ainda que sejam feitas alterações à Lei de Bases do Sistema Educativo e aos estatutos de carreira docente que venham a lesar a atividade destes profissionais.

A reunião do órgão máximo entre congressos servirá igualmente para um debate sobre os rankings das escolas, o que os motiva, o interesse que têm e as consequências.