A ministra da Justiça, Francisca van Dunem, vai ao Parlamento, em data a anunciar, falar sobre o relatório do Comité para a Prevenção da Tortura (CPT) que alertou para o excesso de isolamento na prisão de Monsanto.

O pedido do PSD foi feito na terça-feira, logo no dia em que o relatório do CPT relativo ao ano de 2016 foi divulgado, e hoje aprovado na reunião da comissão de Assuntos Constituicionais, Direitos, Liberdades e Garantias.

O Comité para a Prevenção da Tortura (CPT) alertou que a situação da prisão de alta segurança de Monsanto (Lisboa) não mudou desde 2013, com a maioria dos reclusos em isolamento nas celas 21 a 22 horas por dia.

Para Carlos Peixoto, deputado do PSD, a importância das questões levantadas no relatório justifica ouvir quanto antes a titular da Justiça, com responsabilidade quanto aos serviços prisionais, dado que a próxima reunião regimental só está prevista para 11 de abril.

Luís Marques Guedes, também do PSD, afirmou que "é muito tarde" esperar pela reunião de 11 de abril para abordar o assunto.

O presidente da comissão, o socialista Pedro Bacelar Vasconcelos, não tinha agendado o requerimento para hoje, por achar que o assunto mereceria uma "reflexão mais profunda", "uma outra atenção e seriedade" por parte dos deputados, mas a votação acabou por fazer-se e por unanimidade.

Para Bacelar Vasconcelos, o relatório levanta questões não só ao Ministério da Justiça, mas também ao Ministério da Administração Interna e ao Provedor de Justiça.

Logo na terça-feira, o Ministério da Justiça esclareceu que em todas as cadeias referidas pelo Comité de Prevenção da Tortura registou-se uma "significativa diminuição da população prisional e da respetiva taxa de ocupação".

O diretor-geral dos Serviços Prisionais (DGSP) garantiu hoje que a maioria das queixas sobre maus tratos relatada no relatório do Comité de Prevenção da Tortura é infundada e que as que não são levaram a procedimentos disciplinares.

Na reunião de hoje da comissão de Assuntos Constitucionais foram também discutidos dois projetos de resolução, do PSD e do PEV, com recomendações ao Governo sobre o combate ao tráfico de seres humanos.

Durante o debate, os dois partidos entenderam-se para ser apresentado um texto único, a votar pelos deputados, em plenário.

A deputada do PS Elza Pais informou que o Governo se prepara para aprovar, em 08 de março, o novo Plano Nacional de Prevenção e Combate ao Tráfico de Seres Humanos.

Esta é uma matéria, a do Tráfico de Seres Humanos, em que não deve haver "uma partidarização", nas palavras de Marques Guedes, nem deve ser "arma de arremesso", como disse António Filipe, do PCP.