Depois de uma terça-feira que mais pareceu de inverno, as previsões para quarta-feira não são muito melhores. Aguaceiros e nuvens é a paisagem que vai ser transversal ao continente de Portugal, embora com algumas melhorias da parte da tarde.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera mantém sob aviso vermelho o norte do país, devido à chuva e ao vento forte que se farão sentir. 

Sob aviso vermelho estão os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto e Vila Real. Sob aviso laranja estão Aveiro, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Guarda e Viseu. 

No arranque da semana, houve várias inundações e quedas de árvores, sobretudo no norte do país, em especial na região do grande Porto. 

De onde vem esta mudança radical de tempo? Teve origem numa depressão com origem no ex-ciclone tropical Henri, a norte dos Açores.

"Os efeitos desta depressão no território do Continente irão prolongar-se até ao final do dia 16, originando precipitação forte e vento intenso as regiões a norte do Mondego. As maiores quantidades de precipitação irão ocorrer no Minho, Douro Litoral e Beira Litoral, na tarde de 15 e noite de 16, onde poderão ultrapassar 100mm em 24 horas", explica o IPMA em comunicado. 

O vento forte sentir-se-á até ao final da manhã de terça-feira, afetando com menor intensidade a região Sul. "Rajadas de vento da ordem de 90km/h atingirão a generalidade das regiões a norte do Mondego, prevendo-se rajadas superiores a 110 km/ nas terras altas", acrescenta. 

Advertência ainda quanto à agitação marítima forte na costa ocidental portuguesa a norte do Cabo Raso. 

A Proteção Civil alerta, por sua vez, para possíveis inundações: cheias, queda de estruturas e árvores, bem como piso rodoviário escorregadio em 14 distritos do país.