A Prevenção Rodoviária Portuguesa concluiu que, em média, um em cada seis condutores não respeita o sinal "stop" e força a entrada numa via onde estão outros veículos a circular, revelou esta quarta-feira a organização.

As conclusões da Prevenção Rodoviária Portuguesa surgem após ter analisado dois cenários distintos de condutores perante o sinal "stop": os que se aproximam do sinal e não têm carros a circular na via onde pretendem entrar e os que se deparam com veículos em circulação.

No caso da aproximação a um sinal "stop" onde não eram visíveis veículos a circularem na via, a Prevenção Rodoviária Portuguesa constatou que 15 por cento dos 1.181 condutores respeitaram o código da estrada e os restantes automobilistas apenas abrandaram, comportando-se como se estivessem na presença de um sinal de cedência de passagem.

Em situações em que se depararam com veículos em circulação na via onde pretendiam entrar, dos 672 veículos observados, cerca de 120 condutores não cederam a passagem e forçaram a entrada na via, obrigando veículos com prioridade a alterar a sua marcha, reduzir a velocidade ou até mesmo parar, adianta a Prevenção Rodoviária Portuguesa.

O presidente da Prevenção Rodoviária Portuguesa, José Miguel Trigoso, considera estes comportamentos “muito graves” e diz que mostram que os portugueses “desrespeitam um dos sinais mais importantes do código da estrada”, sendo necessário “reeducar os condutores no sentido de evitar graves acidentes que podem ser causados por esta infração”.

Citando dados da PSP, a Prevenção Rodoviária Portuguesa refere que, em 2015, aquela força de segurança multou 3.141 condutores por infração à paragem obrigatória.