O presidente da câmara de Gondomar foi agredido, durante uma entrevista, por um popular, ao final da tarde, com um incêndio em curso no concelho. Marco Martins foi abordado por um homem visivelmente irritado a exigir que o autarca ajudasse os bombeiros.

Vá ajudar os bombeiros. Sabe há quanto tempo é que estão sem comer?".

Com palavrões pelo meio, o homem chegou mesmo a esfregar uma das mãos com cinza no rosto do presidente da câmara (veja o vídeo, em cima).

No Jornal das 8 da TVI, Marco Martins reagiu à agressão de que foi alvo.

Houve um cidadão que estava demasiado exaltado. Se calhar aproveitando-se de um momento mediático quis vingar-se de um político. Seja um político, seja um bombeiro, seja um polícia, não tem direito de fazer o que aqui fez"

O autarca compreende o "pânico" das pessoas que viram as chamas aproximarem-se das suas casas e dos seus locais de trabalho a arder, "mas não houve nenhuma casa nem nenhuma indústria danificada e isso prova que os meios no terreno são eficazes". 

Várias casas ficaram em perigo depois do incêndio que deflagrou na Serra de Santa Justa, concelho de Valongo, pelas 11:00, ter alastrado ao concelho vizinho de Gondomar.

Além das habitações, também a zona industrial de Mimosa esteve na linha das chamas.

Há registo de um bombeiro ferido, segundo apurou a TVI.

O fogo, com duas frentes, esteve a ser combatido por cerca de 180 operacionais, auxiliados por cerca de 50 viaturas, de 13 corporações de bombeiros.

Cerca das 23:00 de sábado, o incêndio foi considerado em resolução, isto é, sem perigo de propagação para além do perímetro já atingido e, mais tarde, deixou de figurar na lista de ocorrências mais importantes da ANPC.

Em declarações à Lusa, fonte oficial da ANMC adiantou que decorriam no terreno, pelas 00:30, operações de rescaldo e de vigilância.

Veja também:

A meio/final da tarde não havia meios aéreos no terreno, dado o número de ocorrências hoje no país. Porém, foi decidido que o combate às chamas viria a ser reforçado com meios aéreos.

Outra situação bastante preocupante é o fogo que começou em Pampilhosa da Serra e alastrou a Arganil, obrigando a evacuar várias povoações.